14/10/2009

Está Mais Pobre a Viola Campaniça!




Faleceu na madrugada de 14 de Outubro de 2009, o Grande Mestre Francisco António, com quem eu aprendi os primeiros acordes da Viola Campaniça, o Mestre que me ensinou a gostar e amar a nossa identidade cultural. Homem sempre pronto para partir para qualquer lugar, tocando a sua Viola, voz que nos cativava e que nos prendia ao dedilhar da sua Viola, um exemplo de uma grande dedicação á Cultura e ás suas Raizes. Presto assim a minha Homenagem a um grande amigo, a um grande Mestre da nossa Cultura. Não existe nada que possa compensar a perca de uma vida, mas as suas bonitas obras, obrigam-nos a mante-la viva.






O Morte Tirana Morte,
De ti tenho mil queixas.
Quem há-de levar não levas,
Quem há-de deixar não deixas.

8 comentários:

rosa disse...

Simples mas sentida homenagem ao amigo , ao artista, ao Mestre da Viola Campaniça.
***
Tuas palavras sairam
Da alma com sentimento
E soltas logo voaram
Direitas ao firmamento

Alguém lá longe sorriu
E aproveitando o ensejo
O som da viola se ouviu
P'los campos do Alentejo

Aquele abraço da amiga certa.
Rosa Dias

ana felix disse...

para todos vós que tem deixado estas mensagens,de carinho para o meu pai ,quero vos agradecer do fundo do coração .Assim como a homenagem que lhe tem sido feita de uma forma ou de outra ele estará sempre presente no nosso coração.Bem hajam
ana M.Felix (portimão)

Sophia Vilhena disse...

Quero agradecer as bonitas mensagens e homenagens feitas ao meu querido avô! Que muito me inspirou na escolha de uma vida artística! Bem Hajam!
Sophia Vilhena (neta)

Anónimo disse...

Sabado dia 14 de novembro será rezada uma missa em memória Francisco Antonio por volta das 14Na igreja de Casével.obrigada a todos

Anónimo disse...

Caro Pedro Mestre

Hoje encontrei o seu Blog e soube do desaparecimento do mestre Chico Bailão, para além de grande tocador da viola campaniça, foi acima de tudo Um Homem Bom!

Na minha infância conheci a Aldeia Nova, assisti ao seu desaparecimento, mais tarde, e já por algumas vezes com a água da barragem mais baixa, pode observar o que resta daquelas paredes que tantas vezes foram testemunhas desses sons da viola e das vozes do cante.

Quero aqui manifestar o meu profundo pesar às suas filhas e restante família.

Para si, Pedro Mestre, os meus Parabéns pelo seu magnifico trabalho em prol da cultura alentejana.

Um abraço

Domingos Soares

lgxpto disse...

perdeu-se um grande homem e um grande mestre sem duvida mas ca ficou outro tao bom como ele seu sucessor continua pedro decerto continuaras a obra de um grande mestre
um abraço

José disse...

Olá companheiro,eu tambem sou alentejano de Ourique,tenho muitos amigos em Castro Verde que estiveram na tropa em Beja comigo.
um abraço.

José disse...

Sinto muito que esse grande mestre da viola campaniça tenha desaparecido,eu nâo sabia do seu desaparecimento.
Estou na Suiça ha 24 anos,vou sempre ao meu Alentejo fazendo visitas de médico,pois eu moro no Minho em Ponte de Lima,mas a minha terrinha nunca esquecerei e recordo-a tantas vezes nos versos que escrevo.